quarta-feira, 27 de julho de 2011

Brasil e Portugal - Unidos pela mesma dor...

Chama-se “À procura de nós” e denuncia o flagelo nacional do abandono de animais domésticos em Portugal.

“Só ontem, vi dois cães abandonados… Vi duas vezes o mesmo old english sheepdog a correr pela estrada fora, com a pressa doida de quem ainda acredita que vai alcançar o carro dos donos que o deixaram ali num ermo… De manhã, apareceu na esplanada onde eu vou, um velho sharpei de expressão esperançosa… Estudava a cara de toda a gente, como se quisesse ter a certeza de não se enganar na identificação dos donos, caso ali estivessem a esconder-se dele… Já não confiava que o reconhecessem…

Ele estava irreconhecível, de certeza, fora a coleira de onde tinham arrancado a morada. É injusto, mas são os cães que eram mais giros quando eram pequenos que metem mais dó… É o contraste entre a festa que lhe faziam quando eram cachorrinhos e a indiferença com que os abandonam quando se tornam cães.

É incompreensível que, numa época em que cada vez mais actividades humanas são proibidas, continuem impunes os abandonadores de animais. Talvez pudessem passar umas férias num canil da câmara? Como pode ser mais grave e mais castigado deitar um saco de lixo para a rua do que um animal dito de estimação?

A maneira como tratamos e protegemos os bichos selvagens tem vindo a melhorar. Não será altura de começar a tratar melhor os bichos - como os cães e os gatos - que gostam de nós e que ainda pensam que gostamos deles?”  
Crónica de Miguel Esteves Cardoso

É bom que todos estejamos conscientes que o acto de abandonar um animal é um crime punido por lei. E denunciá-lo é um imperativo de consciência mas também legal, de quem presencie ou tenha conhecimento desses crimes. A crueldade e insensibilidade revelada por quem os pratica não deve ficar impune.
Os canis municipais e abrigos Portugueses de animais recolhem por dia em média, mais de 400 cães e gatos das ruas, ou seja, a cada três minutos, um animal é abandonado.
Do total de cães que são capturados das ruas, apenas a uma minoria consegue uma nova oportunidade e são adoptados, a grande maioria são mortos nos canis.
Não compre…Adopte.


Campanha nacional permanente - “Fecha canil do CCZ - Tortura nunca mais” Eu aderi. (cole o slogan/link no email, blog, seja criativo)



Um comentário:

Anônimo disse...

~Continuem esta campanha. é muito importante principalmente para nossa propria evolução.