sábado, 16 de julho de 2011

Leishmaniose Lei quer impedir assassinatos de animais

Lei Federal pode impedir a matança de animais infectados com leishmaniose.
O deputado federal Geraldo Resende (PMDB-MS) apresentou o projeto de lei 1738/2011, que prevê o fim da obrigatoriedade de sacrifício de animais infectados pela leishmaniose. Resende é médico, e afirma que o sistema de saúde pública deve implantar uma política nacional de vacinação, à semelhança do que é feito para a prevenção da raiva. Mas ao contrário da raiva, segundo o deputado, no caso da leishmaniose, os animais podem ser tratados e seu projeto libera o tratamento.
O Ministério da Saúde precisa mudar a orientação do sacrifício quando há alternativas, afirma Resende. “Existe um fundo da Seguridade Social da União destinado para isso, e que não é usado para essa finalidade. Em diversos países existem estudos científicos e mobilização de médicos veterinários e criadores de cães contra o sacrifício”, argumenta.
Ainda segundo Geraldo Resende, o combate ao vetor doméstico tem eficácia temporária porque a utilização de inseticidas nas casas perde o efeito depois de algum tempo. “A decisão política de disponibilizar orçamento para o combate ao mosquito transmissor não funciona nem para a dengue, imagine para o transmissor da Leishmaniose. Seria a melhor opção, mas não acontece. Temos de lutar por outra via”, argumenta.
                      
                                                     Matança de animais não conteve a doença

A gerente de Programa Veterinários da WSPA, Dra. Rosangela Ribeiro, concorda com o projeto do deputado Resende. Segundo ela, “o sacrifício dos animais soro-positivos prova, há três décadas, que essa prática não é uma saída viável, nem do ponto de vista ético e nem do de saúde publica, para controlar a Leishmaniose Visceral Canina. Apesar do Ministério da Saúde ter sacrificado centenas de milhares de animais, a doença tem avançado no país, chegando a grandes centros urbanos”, observa a médica veterinária.
A leishmaniose visceral é uma doença bastante complexa do ponto de vista epidemiológico, e requer um amplo programa de prevenção e controle. Envolve várias ações coordenadas, incluindo o controle de vetores, uso de coleiras repelentes, vacinação de todos os cães em áreas endêmicas e peri-endêmicas, controle do desmatamento, educação continuada dos veterinários e informação da sociedade.
Rosangela Ribeiro lembra que “nos países europeus mediterrâneos, onde a Leishmaniose canina é bastante comum, existe uma gama de produtos veterinários específicos para tratar e controlar a doença em cães. Nesses países, existe uma população de cães soro-positivos controlados e que não trazem perigo para a população humana”.

                                                    Lei pode estimular alternativas éticas

No Brasil, o tratamento com produtos de uso humano é proibido desde 2008 (Portaria Interministerial Nº 1.426, de 11 de julho de 2008), sob a justificativa de se induzir resistência e prejudicar o tratamento nos seres humanos. E no país não existem medicamentos próprios de uso veterinário para tratamento da doença. Esse tipo de arbitrariedade não tem resultado, segundo a gerente da WSPA. “Muitas famílias, impedidas de tratarem seus animais, acabam escondendo seus cães. Outras fogem dos agentes de saúde ou viajam com seus cães para áreas não endêmicas”, explica.
Outra situação comum é as famílias que tiveram animais sacrificados adquirirem outros cães, que vão viver no mesmo local onde estavam os animais soro-positivos sacrificados. Rosangela lembra que “muitas famílias não recebem nenhuma informação durante o recolhimento do animal, e outras nem sequer têm a chance de efetuar a contraprova”.
“Acredito que essa lei trará uma demanda por alternativas viáveis, éticas e efetivas a médio e longo prazos, e estimulará novas pesquisas para se prevenir e controlar essa doença terrível, que afeta milhares de animais e seres humanos em nosso país”, espera Rosangela Ribeiro.
Luiz F Santana
Fonte - Ola online

José Franson - Amigo Deputado Geraldo Resende, permita chama-lo de amigo,  sua iniciativa transbordou este humilde protetor com alegria incontida, e iluminou com esperança a vida de dezenas de milhares de humanos que dedicam boa parte de suas vidas a resgatar e cuidar de animais desprezados. Para salvar a vida e trazer dignidade aos abandonados, enfrentamos com altruísmo todas as adversidades, muitos pagam com a própria vida para proteger a de um animal indefeso ante a crueldade dos humanos sem ética nem coração. Como entregar nossos amigos para serem assassinados pelo Estado? Queremos prevenir e tratar nossos doentes, queremos o controle da natalidade para evitar a superpopulação atual de animais, principal vetor do abandono . Oferecemos nossa humilde contribuição com um projeto que se executado pelos Prefeitos soluciona definitivamente o sofrimento dos animais abandonados. Projeto "Postos veterinários de Proteção aos animais", de baixo custo, absolutamente viável, sem burocracia, sem controles desnescessários e com participação cooperativa e fundamental da comunidade. Por favor senhor Deputado Geraldo, leia e analise, com coração e mente aberta aos sentimentos de amor e compaixão aos animais. O projeto está neste link - http://amigosdosanimaisdetatui.blogspot.com/2011/02/solucao-definitiva-para-o-sofrimento.html 
Acreditamos que a execução do projeto ajuda muito no controle eficaz da Leishmaniose e resgata nossa dívida ética e histórica com os animais abandonados.

Parabéns ao povo do Mato Grosso do Sul por eleger um cidadão de nobreza superlativa para representa-lo. Permita-me amigo Geraldo Resende, elege-lo como Deputado de todos os Brasileiros!!!!
####
Acompanhe o andamento do projeto na Câmara dos Deputados - Leia a íntegra do PL
http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=510841
####

Faça seu elogio, agradeça ao Deputado
Email  -  dep.geraldoresende@camara.gov.br

NÃO ENTREGUE SEU CÃO PARA O CENTRO DE ZOONOSES! 
LEVE-O AO VETERINÁRIO PARA QUE ELE DÊ O DIAGNÓSTICO FINAL! E FACA O TRATAMENTO.
TEMOS QUE EXIGIR MEDIDAS PROFILÁTICAS!! QUE COMBATAM O MOSQUITO!! É UM ABSURDO O QUE VEM ACONTECENDO! SE A DOENÇA SE ALASTRAR O PRÓXIMO CÃO PODE SER O SEU! 
OS ANIMAIS AGRADECEM

####
No dia 17 de junho de 2011, foi criada  na sede do Conselho Regional de Medicina Veterinária Regional Minas Gerais (CRMV/ MG), uma Associação Científica para estudar a Leishmaniose em animais no Brasil, BRASILEISH, cujos fundadores são os médicos veterinários Dr. André Luis Soares da Fonseca, Dr. Fábio dos Santos Nogueira, Dra Ingrid Menz, Dr. Manfredo Werkhauser, Dr. Paulo Tabanez ,Dr. Sidney Magno da Silva e Dr. Vítor Márcio Ribeiro. 
Este grupo pretende reunir médicos veterinários clínicos de pequenos animais para estudo da Leishmaniose, inspirados nos colegas europeus, quando criaram o LEISHVET.
Que este grupo seja um divisor de águas na história da leishmaniose no Brasil.
Vivi Vieri







####
URGENTE - MOBILIZAÇÃO CONTRA EXTERMÍNIO DE CÃES COM LEISHMANIOSE

A Leishmaniose é uma doença séria e negligenciada pelas autoridades de saúde do Brasil, cujas políticas públicas de extermínio de cães adotadas para o seu controle são antigas e ultrapassadas, além de antiéticas e ineficazes. Os cães vem pagando há anos com a vida, sem que isso tenha resultado positivo no controle dessa zoonose, até porque, gatos, cavalos, galinhas, porcos, ratos e outros animais, também são reservatórios da doença.

O deputado federal Geraldo Resende propôs um Projeto de Lei (PL 1738/2011), que normatiza campanhas de esclarecimento, prevenção e vacinação gratuita contra leishmaniose, bem como o direito de tratar os animais. Este PL está na Comissão de Seguridade Social e Família, cujo relator é o Deputado Federal Luiz Henrique Mandetta.

Precisamos de uma mobilização geral para “Informar” ao relator, e demais membros da Comissão, que a matança obrigatória de cães infectados no Brasil é ineficiente, sendo praticada apenas em nosso país, onerosa aos cofres públicos, e que mascara a propagação dessa zoonose.

Vamos encaminhar ao Deputado Luiz Henrique Mandetta, e aos demais membros da Comissão (endereços abaixo), nossa solicitação pela aprovação do PL 1738/2011 do Deputado Geraldo Resende, que trará um efetivo avanço no controle dessa doença e na qualidade de vida dos brasileiros. E também, que sejam realizadas Audiências Públicas, onde todas as partes interessadas sejam ouvidas, inclusive aquelas contrárias à política oficial de extermínio de animais. 

Quem tiver possibilidade, pode ligar para o gabinete do Relator:   -     Deputado Mandetta  -  fone: 61- 3215-5577 

Autor do PL 1738/2011   -   Deputado Geraldo Resende   -  fone: 61- 3215-8402 

E-mails:

Deputado Mandetta - dep.mandetta@camara.gov.br 

Deputado Geraldo Resende: dep.geraldoresende@camara.gov.br
 

Campanha nacional permanente - “Fecha canil do CCZ - Tortura nunca mais” Eu aderi. (cole o slogan/link no email, blog, seja criativo)

__._,_.___

Um comentário:

Anônimo disse...

Ridículo esse PL.... Muito mal escrito!!! Quem foi que escreveu? Acho que tem que estudar um pouco mais sobre a doença. Acho que é importante um PL para lutar por esta causa... mas não mal escrito como esse. Precisamos ecrever melhor para convencer. O Governo sabe argumentar muito bem.