sábado, 7 de maio de 2011

Aos protetores que perdem amigos todos os dias.

Aos protetores que perdem amigos todos os dias.  

Ao lado do condomínio que eu moro, tem um terreno que as pessoas insistem em dizer que está vazio. Em verdade, ele não está vazio. Vejo muitos animais ali, que aproveitam a frondosa sombra de três arvores de "jambo", uma frutinha roxa que mancha a língua de azul e da um aspecto engraçado aos dentes... Sempre admirei essas árvores, elas são realmente bonitas. Algumas vezes até, as visitei, apenas para ficar embaixo de suas sombras e observar os pássaros, que comiam tranquilamente as frutinhas.

Hoje, o mato está bem alto... tem chovido muito aqui. Justamente para falar sobre alguém que chegou junto com uma chuva, aqui estou eu, debruçada sobre esse teclado. Choveu mais de uma semana seguida e eu sempre me pego pensando: e os animais que não têm lugar pra ficar e recebem toda essa chuva e frio? Quando estou sob minhas cobertas quentes, realmente penso neles...!

No sábado passado (hoje faz exatamente 8 dias), estávamos chegando do centro e na porta havia uma pequenina criatura, arrasada, amedrontada: era uma gatinha, que de tão magra, temi por algumas vezes quebrar seus ossinhos. Desci do carro para olhá-la e ela veio miando pra mim, caminhando como podia. Estava imunda, num estado lamentável... Sob protestos de meu marido, a recolhi. Como eu poderia comer, dormir, tendo isso na consciência... A negação a ajudar uma pequena gata, que sabe Deus como viera parar ali...

Logo que dei seu primeiro banho, dei-lhe comida e água limpa. Percebi que iria novamente travar uma batalha com a morte... não era a primeira vez que eu ia tentar retirar um animal da morte certa. Ela estava muito frágil, eu pedi ajuda para ela a uma amiga e consegui algum medicamento... Passou-se um dia, dois... E todos os dias eram um ritual: Limpar o lugarzinho dela, retirar os panos que ela tinha sujado com a diarréia, trocar por panos novos, mas cuidar de passar ferro neles para que eles estivessem numa temperatura amena para a pequena. Fazer o soro caseiro e preparar uma coisa que me ensinaram a fazer com o arroz pra ela. Depois de limpa e alimentada, eu a prendia na cintura, embalada como um bebê índio. Se eu não ficasse com ela, ela chorava muito.

Mas ontem, eu percebi que apesar de meus parcos esforços, a minha querida não iria sobreviver. Ela não quis comer, forcei-lhe uma sopinha que eu preparei pra ela, batida no liquidificador... Dei-lhe o soro... mas eu sabia: a minha nova e pequenina amiga estava me deixando. Ontem à noite fiquei o máximo que pude a ela, dizendo-lhe palavras carinhosas: Que ela era linda, era uma princesa e que tudo ia ficar muito bem. Que tinha sido um prazer tê-la encontrado ali na porta...

Eu me tornei uma pessoa melhor nesses dias. Dizia-lhe que eu não era a sua mãe, mas que ela me permitisse ocupar esse lugar, por que eu queria muito que ela vivesse e teria o maior prazer em acordar mais cedo para limpá-la e alimentá-la antes de ir trabalhar. Que seria um prazer chegar pra almoçar e primeiro dar de comer a ela. Que a noite eu me sentiria muito feliz se ela quisesse continuar comigo, amarrada na minha cintura, dormindo, tranqüila.

Mas eu sabia, ela estava sentindo muitas dores, o remédio não fazia efeito. Por fim consegui fazê-la dormir, mais de 3 da manhã e ela não foi dormir no seu lugarzinho no outro quarto. Ela dormiu ao lado da minha cama: eu depositei a mão sobre o corpinho dela, para ela ver que eu não iria deixá-la morrer sozinha. , disse-lhe eu.

Às 6 da manhã, acordo com os gritos dela. Definitivamente, ela estava indo. Limpei-a devagar, sorri-lhe e disse-lhe que estava tudo bem, que Deus iria curá-la em outro plano. Mais tranqüila, ela voltou a cochilar e eu também. Acordei as sete, com ela miando, morrendo. Aos prantos, sentei-me na cama e segurei-a como a um bebê. Eu nunca vou me conformar em ver esses animais, seres indefesos, sendo vítimas da maldade dos homens. Embalei-a e vi que o sol estava saindo...

Então lembrei que em algum lugar e u li que o sol era Jesus Cristo. Era uma bonita analogia e ela estava muito fria. Deitei-a de forma que ela pudesse sentir o calor do sol no seu rostinho muito magro.

De olhos vidrados, ela morreu instante depois. Chorei muito e então resolvi que ela merecia dormir num lugar bonito. Ajeitei-a num pano preto e arranquei de um arranjo, uma flor branca. Com uma pequena pá de jardim, adentrei o mato ao lado do condomínio. Estava um dia lindo, lá estava cheio de pássaros cantando. As arvores pareciam criar ali uma egrégora diferente do resto do lugar. Cavei e depositei-a ali, aos pés da árvore enorme.

Eu vou sempre se lembrar de você, minha querida.

Agora quando eu olhar para as árvores aqui do lado, não hoje, não amanhã, mas um dia meu coração voltará a ver o lugar como um lugar bonito. Hoje, vejo-o apenas como um lugar onde uma amiguinha que me deu sua graça por oito dias, está. Fiquei órfã de filha.

Descansa em paz. Renasça. Quero vê-la feliz. Quero sentir que te ajudei de alguma forma.


Para os protetores que perdem amigos todos os dias.

Scheyla de Oliveira Esteves Bittencourt

Conheça o Projeto Malu - Em prol dos animais deficientes

www.projetomalu.blogspot.com

Campanha nacional permanente - “Fecha canil do CCZ - Tortura nunca mais” Eu aderi. (cole o slogan/link no email, blog, seja criativo)

8 comentários:

** Aline Rocha ** disse...

q lindo, q maravilhoso

q Deus proteja seu anjinho

www.acolhaumamigo.blogspot.com

Mariana MT disse...

Que todos os nossos anjinhos estejam, enfim em paz, longe da maldade humana e perto de Deus...

ADOTAR É TUDO DI BOM disse...

é verdade perdemos mesmo amigos verdadeiros todos os dias,é mt triste mesmo mass faze o que é a vida
nos protetores sofremos mt msm
parabens por cuidar dela com carinho e dedicação nao precisamos de reconhecimento aki na terra pq deus vai nos recompensa por td esses nossos sofrimentos no ceuuu
bjuss fica com deus e confia nele

meguyp disse...

Nossa! Que coisa mais linda...Nao consigo parar de chorar...Parabéns por ser essa pessoa maravilhosa...penso igual a você...é bom saber que ainda existem pessoas boas no mundo...
obrigada

Andy disse...

Parabéns. Precisamos de mais pessoas como vc no mundo!

xxx_mah disse...

Ai, estou em prantos aqui! hehe É tão triste perder um bebê assim, fico pensando também em quantos estão por aí precisando de alguém que tenha a compaixão de ajudá-los... mas tenha certeza que você fez tudo o que foi possível! :D

OAS disse...

ESTOU CHORANDO ATÉ AGORA, REVIVI TUDO O QUE JÁ PASSEI, NÃO SEI QUANTAS VEZES JÁ PASSEI POR ISSO!
MAS NÃO ME ARREPENDO DE TER PASSADO POR ISSO, PELO MENOS SOUBERAM QUE ALGUÉM SE IMPORTOU COM ELES, E FARIA E FAÇO TUDO DE NOVO! OBRIGADA PELAS PALAVRAS! ME VI NO SEU LUGAR!

Cristine disse...

É a primeira vez que eu tenho a sensação de dizer pra alguém que chorei por um lindo depoimento. Eu passei exatamente a mesma coisa há dois anos atrás com uma linda menina felina, tudo como está escrito aí igual e até hoje eu choro quando lembro dela. Mas como você disse, eu espero que eu a tenha feito bem de alguma forma e quero acreditar nisso. Sei que fizemos o melhor! Que Jesus te abençoe sempre sempre sempre!